Dor no peito: por que ocorre e em quais situações ela não é normal

Qualquer tipo de dor é possível deixar muita gente em sinal de alerta e, quando se trata da dor no peito, ela é ainda mais preocupante. Mas, o que poucos sabem é que ela pode ocorrer por diferentes motivos e em diversas situações, portanto, o ideal é saber o motivo, para assim, encontrar um tratamento ideal.
É sempre bom se prevenir, mas, muitas vezes, acabamos por confundirmos simples sintomas com algo mais sério, o que é normal. Por esse motivo, a dor no peito precisa ser diagnosticada mais profundamente, para que assim seja possível identificar as causas.
Apesar de muitas pessoas procurarem o médico, dizendo estar tendo um começo de infarto, não necessariamente esse é o motivo. Por isso, conheça as principais causas e por que pode ocorrer uma dor no peito.

Dor no peito: principais motivos

Ataques de pânico

Estresse, nervoso e ansiedade é um dos principais motivos do ataque de pânico, que pode ser até mesmo confundida com infarto, isso porque os sintomas são desconfortáveis e assustadores, tais como: dor no peito, falta de ar, tremores, sensação de adormecimento dos nervos, palpitações no ritmo cardíaco, entre outros.
Mas, o ataque de pânico está ligado à traumas e medos. Nesse caso, o ideal é procurar ajuda de um psicólogo para tratar melhor os sintomas.

Dor nos seios pode ser sinal de mastalgia

mulher com dor no peito

A mastalgia é a dor no peito que ocorre durante, ou mesmo antes a menstruação. A sensação resulta em ações do sistema hormonal, ou seja, as mamas ficam mais sensíveis nesse período, causando desconforto e dor em um ou até mesmo nos dois seios. O ideal é que elas passem depois da menstruação, caso contrário, é importante a consulta à um médico ginecologista.

Dor nos seios pode ser começo da puberdade

Ocorre normalmente entre crianças/adolescentes, apesar do peito doer, não é sinal de algo grave, mas sim de mudanças hormonais, isso porque é a etapa na qual os seios começam a crescer e por esse motivo a região do peito fica dolorida e sensível.

Excesso de gases

Apesar de parecer estranho, essa é uma das causas mais comuns de quem sofre com uma forte dor no peito, próximo a região do tórax, o que não está relacionado a nenhuma doença de coração. Apenas pode ser diagnosticada com prisão do ventre com o acúmulo de gases, que podem “empurrar” os órgãos abdominais, causando um grande desconforto e dor.
Identificá-lo nem sempre é fácil, mas a dor aparece em forma de pontadas que desaparecem e voltam repetidamente até parar de uma vez. Para tentar inibir a forte dor, o ideal é fazer massagens na região e, se possível, deitar ou sentar em uma posição confortável.

Refluxo gastroesofágico

Quem sofre com refluxo e não faz uma dieta adequada, pode ter maiores chances de ocorrer fortes dores no peito de maneira mais frequente, isso porque o refluxo está ligado à inflamação do esôfago. Quando isso ocorre, a forte dor no peito é acompanhada por uma intensa queimação, aperto na região da garganta.
Quando isso acontece, um chá antes de dormir é muito bem-vindo, por exemplo, o chá de camomila além de ajudar a relaxar, melhora também na digestão. Mas, em caso de dores frequentes, o ideal é procurar um médico gastro.

Dor muscular

Lesões musculares são muito comuns no dia a dia, por mais que acabamos esquecendo, ela é lembrada com fortes dores no outro dia. Isso pode ocorrer por excesso de treinamento na academia, ou atividades que necessitem de esforço físico, resultando em nervos contraídos e levando a uma inflamação.
Para aliviar a tensão, o ideal é fazer compressas mornas no local afetado, investir em géis para aliviar as dores, ou mesmo remédios anti-inflamatórios.

Dor na vesícula

A vesícula é um órgão que fica no lado direito do estômago, mas ele pode ficar inflamado por conta a presença de pedras, quando isso ocorre, acontece uma forte dor na região do lado direito, chegando ao peito, sendo confundida com infarto.

Doenças de pulmão

Asma, bronquite ou outras infecções acabam doendo atrás do coração, ou seja, no tórax, parecendo uma dor cardiaca, principalmente quando se respira profundamente. Outros sintomas como falta de ar, tosse e chiado ao respirar também podem acompanhar a dor.

Infarto

Apesar do infarto ser um dos motivos mais preocupantes, o infarto é um sintoma raro, mas que pode afetar diferentes idades, apesar de acontecer com mais frequência em pessoas com pressão alta, colesterol elevado, fumante e idade igual ou superior aos 45 anos.
Normalmente, ele é acompanhado de uma forte dor no peito, remetendo a um aperto, além disso, é mais comum ao lado esquerdo, podendo demorar para passar e vir junto com outros sintomas como formigamento e falta de sensibilidade nos braços e mandíbula. Nesses casos, o mais importante é ir ao pronto-socorro e fazer todos os exames necessários para identificar a principal causa.

É importante procurar ajuda médica independente dos sintomas acima, assim, é possível entender o que ocorre e como melhorar a saúde, assim como a qualidade de vida que é o mais relevante, certo?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Horas
minutos
segundos