Moda sustentável: por que comprar em brechó?

Você já parou para pensar o quanto os seus hábitos de consumo podem estar impactando o mundo? Viver de forma sustentável vai além de economizar água e luz e envolve outros hábitos, como comprar uma roupa ou sapato novo.

Por trás das peças novas que compramos há um longo processo de produção que consome muitos recursos naturais e gera resíduos poluentes. O relatório do Global Fashion Agenda e The Boston Consulting Group mostrou que apenas 20% do lixo de roupas é coletado para reuso e reciclagem, enquanto que o restante para nos aterros sanitários ou é incinerado. 

Diante dos efeitos no planeta, como reduzir impactos e consumir de forma consciente? O brechó pode ser o seu primeiro passo para uma vida mais sustentável.

Brechó e sustentabilidade: consumo e moda consciente 

Embora muito tradicionais por todo o mundo, os brechós passaram por grandes mudanças nos últimos anos e vem acompanhando as novas formas e espaços de consumo, como a internet.

O meio digital, principalmente as redes sociais, tem impulsionado e motivado pequenos empreendedores a abrirem um brechó online e passarem a vender roupas usadas. E foi no ambiente online que Nathalia Costa deu vida ao Makebas Brechó, marca sustentável e afrocentrada que resgata peças singulares. Nascida na comunidade da Coruja em São Gonçalo, periferia da região metropolitana do Rio de Janeiro, Nati Makeba, como prefere ser chamada, é jornalista, produtora de eventos e empreendedora no ramo da moda sustentável.

Como e quando surgiu o Makebas Brechó?

“O Makebas Brechó surgiu em agosto de 2016. Eu tinha acabado de me graduar em jornalismo e tinha sido despedida do emprego. Mas o meu amor pelo universo dos brechós começou em 2015 em uma matéria sobre consumo consciente que fiz para um trabalho da faculdade. Através dessa matéria, eu acessei os brechós online e vi que era uma mercado que estava em ascensão devido a mudança no padrão de consumo das pessoas e também pela questão ambiental. Daí, foi amor à primeira vista e comecei a mudar minha forma de consumir. Decidi me desapegar de algumas roupas minhas que estavam paradas e junto a uma amiga criamos o “Brechó das Hermanas”. Mas era algo mais informal e por meio de um grupo que fizemos no Facebook. Como não era com intuito de empreender, nós não focamos muito. Porém, conseguimos vender algumas coisas. Quando fui despedida fiquei pensando no que poderia fazer para ganhar uma grana rápido e decidi que iria transformar o “Brechó das Hermanas” em um negócio e como minha amiga não quis continuar, eu precisei mudar o nome. Daí, a partir de uma pesquisa na internet, acessei a história da cantora sul africana Miriam Makebas, conhecida como Mama África. Como queria dar um nome que homenageasse algo ou alguém ligado à cultura africana, Makebas Brechó foi o que muito me agradou.” 

Nati makebas
Nati Makeba é a idealizadora do Makebas Brechó

Como acontece o processo de curadoria das peças?

“Através de uma curadoria criteriosa em bazares filantrópicos, resgato peças vintages com mais de 20 anos de existência e alternativas, priorizando tecidos como linho, viscose, seda e crepe. Também trabalhamos com upcycling em parceria com a artista Jessica Gomes.”

Quais as vantagens de se comprar em brechó?

“Tem uma frase que curto muito e infelizmente não sei a autoria, mas acho que diz muito sobre os brechós: ‘Vestir-se de brechó é despir-se de preconceitos’. Precisamos ressignificar nosso olhar sobre o mundo e formas de viver a partir daquilo que nos potencializa e representa, sem nos deixar uniformizar pelo sistema. Adotar a prática de ressignificação na forma em que vivemos é algo urgente, uma vez que romper barreiras e criar coragem para buscar vivenciar experiências com mais autenticidade, consciência e alinhadas com o propósito do bem comum se torna um dos caminhos para adiarmos o possível “fim do mundo” que, na verdade, se trata do fim de nós humanos nessa vivência humana. Por isso, acredito que o brechó é muito além de um consumo consciente que promove mudanças significativas para o meio ambiente, pois ele nos possibilita ressignificar a forma como lidamos com o todo. Mas para isso é necessário se permitir quebrar padrões e hábitos, buscando novos olhares sobre o que já existe e precisa ser valorizado. O novo já nasce velho e os brechós nos mostram a cada dia que o futuro é ancestral. Brechó é sobre autoconhecimento, consumo consciente, autenticidade e ancestralidade.”

O que é moda sustentável pra você?

“Moda sustentável para mim deve estar atrelada aos três pilares da sustentabilidade: social, ambiental e econômico. Suprindo as necessidades da sociedade atual, mas sem prejudicar as gerações futuras. Acho que tem muito a ver com empatia e respeito ao todo. Moda precisa estar de mãos dadas com propósitos coletivos”.

Qual a importância do brechó hoje e para o futuro?

“A moda dita sobre o comportamento das pessoas na sociedade e estamos em um momento que o meio ambiente não sustenta mais a demanda do capitalismo e ele precisa modificar. Por isso, os brechós surgem como uma possibilidade de transformação nas nossas formas de consumo, não só na moda, mas no geral. Possibilitando uma ressignificação sobre o futuro que queremos criar e o que queremos deixar de legado para as próximas gerações. O consumo consciente é sobre estar a favor da vida, a liberdade de ser e respeitando a singularidade de cada um. Os brechós unem tudo isso!”

Viva de forma sustentável

Não pare por aqui e busque novas iniciativas para tornar o seu dia a dia mais consciente e sustentável, como buscar se alimentar de forma baleada para sua saúde e para o planeta, comprar produtos feitos com responsabilidade socioambiental e se aliar a campanhas que promovam ações de conscientização, como a A Hora do Planeta, organizada pelo WWF.

O mais importante é entender que grandes ações se fazem com pequenos passos. Dê o seu. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Horas
minutos
segundos