Machismo e feminismo: entenda porquê feminismo não é o oposto de machismo

Pode parecer que não, mas muitas pessoas acreditam fortemente que o oposto de machismo é o feminismo, acredita?!
As palavras podem até ser parecidas, mas uma não tem nada haver com a outra, saiba porquê.

O que é o feminismo?

Desenho de uma mulher com bandana na cabeça, fazendo sinal de "banana" com o braço

O movimento feminista nasceu por volta da década de 60 nos Estados Unidos com o objetivo de conquistar o acesso à direitos iguais para todos. Ou seja: homens e mulheres tendo as mesmas possibilidades.
O feminismo é um movimento social e político cheio de vertentes e lutas, porém, durante o século XIX o movimento feminista tradicional não conseguiu solucionar e atender todas as exigências e necessidades femininas, deixando de lado as mulheres negras, trans, lésbicas, entre outros gêneros.
As lutas eram semelhantes, porém, mais complexas para alguns grupos, por isso o feminismo interseccional nasceu, para representar todas as causas e mulheres.

O que é o machismo?

O machismo é um dos motivos da luta feminista, pois ele constrói condições desiguais entre os gêneros, colocando o homem em posições superiores às das mulheres.
Trata-se de lugares e atitudes que os homens acreditam serem melhores as mulheres, seja na sociedade, cultura, família, escola, mídia, ou qualquer outro espaço que eles circulam.
Porém, essas atribuições de superioridade foram construídas socialmente, afinal, ao longo da história o homem sempre foi o guerreiro, o caçador, o dono de terras, o escravista e comandava todos os ambientes que vivia.
Feminismo e femismo
Diferente do feminismo que prega igualdade de gêneros e direitos iguais a todos, o femismo é o oposto do machismo. Trata-se de ideias que colocam a mulher no lugar de superioridade sobre os homens.
O femismo é uma ideologia que não admite uma igualdade entre homens e mulheres, pregando desigualdade entre os gêneros, assim como o machismo.

O que é ser machista?

Para mostrar mais detalhadamente como os estereótipos machistas são reproduzidos na sociedade, separamos algumas atitudes cotidianas que mostrarão como o machismo ainda impera nos dias atuais.

Divisões de tarefas

Desde pequenas, as mulheres são ensinadas quais são as tarefas atribuídas à elas, seja na cozinha, na limpeza ou na singela brincadeira com a boneca, mostrando qual é o seu futuro socialmente.
Os homens podem brincar com diferentes ferramentas e escolher diferentes profissões desde pequenos. Porém, quando o assunto é brincar de boneca ou brincar de limpar a casinha da boneca, é repreendido rapidamente.
Essas atribuições deixam claro as desigualdades sociais e refletem no casamento tradicional, onde a mulher cria o filho, limpa a casa e ainda trabalha fora, enquanto o homem é responsável pelas finanças da casa.

Homem paga a conta

Deixar o homem pagar a conta é reproduzir o estereótipos de que ele é o financeiramente ativo e a mulher não. Dividir a conta é o mais justo a fazer, afinal, ambos consumiram e precisam arcar com as despesas, não é mesmo!?

Mulher que transa muito é “safada”

A sexualidade da mulher é algo que ainda hoje é muito discutida, afinal, a imagem da mulher foi criada historicamente para ser obediente, reprodutora, mas não dona do seu prazer e da sua sexualidade.
Homens que se relacionam com muitas mulheres não são vistos com maus olhos, afinal, eles têm necessidades sexuais que precisam ser tratadas.

Gostou da explicação? Saiba também como educar as crianças e um ambiente sem machismo, para serem pessoas gentis e igualitárias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Horas
minutos
segundos